Mente Serena

9 de junho de 2016

Onde começam os nossos problemas, os nossos atritos, as nossas dificuldades, o nosso sofrimento?

Poderíamos pinçar vários viés, mas vamos iniciar esta reflexão, por uma das maiores armadilhas que nossa mente lógica ( e identificada) já criou: A Terceirização!

Como poderíamos definir esta terceirização?

Umas das formas seria: “Processo onde tudo aquilo que acontece comigo, que não vai de encontro ao que eu quero, ou como eu gostaria que fosse, é de responsabilidade e culpa de terceiros (outros)”

Desta forma vamos vivendo, agindo e reagindo as situações sempre da mesma forma, desejando fortemente que os outros sejam diferentes, ajam diferentes, para que nossos resultados possam ser aqueles que nós almejamos!

Como isso nunca acontece (e nunca acontecerá), por mais inusitado, ilógico e surreal que possa parecer, continuamos terceirizando, criando expectativas nos outros, culpando-os pelos nossos fracassos, insucessos e frustrações!

A identificação é tamanha, que olhar com honestidade para o que está acontecendo não é uma possibilidade! Estamos presos na armadilha da mente lógica, da identificação, do Ego.

Neste cenário, existem apenas dois caminhos:

O primeiro vem pela mente lógica, que vai buscar dentro da sua limitada visão, analisar e justificar tudo (sempre quem justifica é o Ego), aplicando mais do mesmo na tentativa de solucionar os problemas. O foco passa a ser sempre na quantidade (nunca na qualidade) daquilo que estamos fazendo. Queremos mais, fazemos mais, corremos mais e mais (em círculos infelizmente)!

Se nada disso der certo (e não dará), a mente dicotômica vai para o outro extremo e já que quis muito, fez muito e correu muito e não adiantou nada, agora ela não quer mais nada, não fará mais nada, não correrá mais atrás de nada! Ficará contrariada, isolada e separada… Não brincará mais!

E nem de um jeito, nem do outro, se conseguirá mudar o que é preciso ser mudado!

O segundo vem da mente expandida, da mente serena, da mente que transcende a lógica e compreende que não é nos extremos que temos que colocar nossa atenção, assim como não é nos outros…

A mente consciente coloca a atenção em si mesma, no momento presente. Coloca uma lupa em nossas atitudes, em nossos pensamentos, em nossos desejos. Nos mostra as incoerências entre aquilo que falamos e aquilo que efetivamente estamos realizando, entre aquilo que queremos e aquilo que necessitamos.

Somente com este olhar desidentificado, humilde, honesto e maduro é que se consegue mudar o que precisa ser mudado!

Não precisamos de grandes conquistas, de grandes riquezas, de grandes feitos…

Precisamos apenas de uma mente serena e de um coração pulsante! Com isso temos tudo o que realmente importa; e o que eventualmente não tivermos, não nos fará falta, pois a mente tranquila é plena em Sabedoria, em Amor, em Paz!!!

Boa reflexão a todos!

meditação

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: